edu .comment-link {margin-left:.6em;}

Pra doido ler

terça-feira, maio 06, 2008

A camiseta dele, o dia dele


Passei o dia todo com a camiseta dele. Molinha, velhinha, incrivelmente ainda com aquele cheiro que eu reconhecia de longe. Ela era branca, mas o tempo a fez amarelada em alguns pedaços. E eu realmente não me lembro de tê-la lavado nesses oito anos.

Acho que nunca lavei, com medo de perder o cheiro dele. Por causa desse mesmo medo, só lembro de tê-la usado duas vezes: uma para sair, em um dia que senti que precisava de proteção, e uma para dormir, em um dia que esperava que ele viesse me visitar à noite.

Mas hoje, hoje foi diferente. E eu passei o dia todo com a camiseta que tem o nome dele bordado por minha avó. Só tirei agorinha e em uma partezinha da tarde em que precisei sair.

Passar o dia todo com essa camiseta molinha e velha foi como ter passado o dia todo abraçada a ele. E 6 de maio, ano após ano, era uma data em que os abraços eram ainda mais fortes. Hoje eu passei o dia todo dando e recebendo um abraço gostoso nele. No avô que completaria 88 anos.

1 Comments:

At 8:42 PM, Blogger micheliny verunschk said...

lindo, Fê! Você leva um jeito incrível para falar dessas emoções, digamos, familiares. Deveria escrever um livro de crônicas. Eu comprava e ainda ía ao lançamento :)

bjks!

 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Links to this post:

Criar um link

<< Home